sábado, 27 de fevereiro de 2016

Como vai a sua mochila?


Eu sou fã de mochilas há muitos e muitos anos. Acho a mochila bastante prática, pois permite carregar com equilibrio nas costas tudo o que queremos levar. Todos nascemos com uma mochila para carregar no caminho dessa vida. E dentro dela você coloca o que quiser para enfrentar os desafios de sua caminhada. Uns sabiamente escolhem colocar ali muita alegria, bom humor, paz, paciência, perdão, satisfação, amor, paixão e tantas outras capacidades necessárias para essa única jornada. Outros, não sabemos por que, já escolhem enche-la de medo, insegurança, tristeza, impaciência, intolerância, ódio e tantos outros pesos que vão fazendo da mochila da vida um fardo dificil de carregar. Por esse caminho único, nós vamos distribuindo para os outros tudo o que temos na mochila. É comum você ver gente distribuindo carinho e alegria, e recebendo indiferença, desrespeito e ingratidão. Mas você também encontra quem só compartilha carinho, bom humor e alegria e vai recebendo tudo isso em porção dobrada. Talvez você seja uma dessas pessoas maravilhosas. É uma caminhada única com uma única mochila, o que faz da vida uma experiência única. É você quem a preenche, é você quem a carrega!

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

Bons momentos de Brasil

Você pode pensar que o Brasil só tem coisas boas. Você pode acreditar que o Brasil só tem coisas ruins. Que o brasileiro é um incorrigível otimista, que só gosta de festa. Ou que seja relaxado e despreocupado, alienado das coisas que ocorrem a sua volta. Na verdade, tem brasileiro para todo gosto. Como qualquer país do mundo, temos nossas virtudes e nossos defeitos. Tudo depende do que você esteja buscando no Brasil e no brasileiro. Como já são muitas as observações e críticas sobre o lado menos virtuoso do brasileiro, eu prefiro destacar aqui as coisas que valem como exemplo para todos nós. Por isso, começo a buscar e a registrar aqui o dom e o trabalho de brasileiros que a gente vai encontrando pelo caminho. Viajando pelas estradas de Minas Gerais, por exemplo, paramos em São Lourenço, e entramos na locomotiva do tempo. Na verdade, é uma Maria-Fumaça, de 1928, chamada a Locomotiva das Águas, a vapor, que ia apitando forte, ligando o presente ao passado. Enquanto seguia, dentro dela uma simpática e veterana dupla caipira, acompanhada de um jovem sanfoneiro, animava com o seu dom os passageiros numa viagem a Soledade de Minas. Eles iam cantando e o tempo passava alegre. Vejam no vídeo parte desse grande momento brasileiro.
video