quinta-feira, 19 de abril de 2018

Motoristas demais em conexão. Socorro!

Hoje em dia, para garantir uma direção segura no trânsito, estou mantendo um olho bem aberto na frente e outro no veículo de trás. Tem gente demais em conexão nos carros. Se perceber que o motorista, ou a motorista, de trás está conectado ou conectada ao celular, fico bastante esperto e procuro sair logo da frente de seu carro, mudando de pista. Isso porque a chance de o carro dela se conectar fortemente na traseira do meu carro é muito grande. A vida digital é necessária mas, se descuidarmos, faremos logo parte exclusivamente dela ou teremos um belo carro amassado.  Salve-se quem puder!!!

sábado, 7 de abril de 2018

A morte do Rio Esperança

Sempre que caminhava pelas agitadas ruas do centro de São Paulo há muitos anos,  eu costumava parar na frente das livrarias para ver os livros à disposição. Nunca vou esquecer do título de um deles, que nunca comprei e portanto nunca soube do seu conteúdo. "Não apresse o rio, ele corre sozinho".  Muitas águas passariam pela história do Brasil depois daquele dia. Passariam lentamente como o rio Tietê, que nasce limpo em Salesópolis mas chega à São Paulo sujo e contaminado.

Por mais de 20 anos atuando no jornalismo do mundo automobilístico em São Bernardo do Campo, eu iria acompanhar ali a nascente de um outro rio, o Rio Esperança. Nascia e corria sob a beleza de uma estrela brilhante. Suas águas limpas jorravam dos discursos empolgantes sobre os caminhões nas assembleias sindicais. O compromisso honesto era de manter o rio sempre limpo até chegar a Brasília, para matar a sede e garantir a saúde do povo brasileiro. Via ali muitos companheiros de trabalho, gente honesta e digna, movimentando as máquinas da produção de veículos, com muita esperança na melhoria do país, sonhando com  um futuro melhor para suas famílias, enquanto o rio corria sozinho e a estrela resplandecia.

As águas do Rio Esperança chegariam finalmente a Brasília. E a estrela subia e brilhava.

Mas enquanto os brasileiros se encantavam e se iludiam com o seu brilho,  não percebiam que as águas originalmente puras de São Bernardo do Campo começavam a ficar cada vez mais turvas, perdendo a transparência e seus valores à medida que invadia Brasilia. O Rio Esperança começou a poluir e a morrer.  Deixou Brasília e o Brasil inteiro morrendo de sede de esperança, sede de honestidade, sede de trabalho e de justiça. Sede de futuro.

Preciosa a imagem da nascente do Rio Tietê em Salesópolis. Horrível a imagem do Rio Tietê em São Paulo. Saudosa a lembrança das águas limpas da nascente do Rio Esperança em São Bernardo do Campo. Lamentável a sua condição quando correu em Brasilia e por todo o País, desviando-se dos princípios de sua nascente.  Contaminou a saúde, a autoestima e a moral nacional. Cheirou mal em todo o mundo. Diferentemente do Rio Tietê, ele acabou poluído até mesmo em sua nascente e por seus próprios fundadores.

Quanto à estrela, ela acabou caindo sozinha onde também nasceu, em São Bernardo do Campo.  O que foi já não é mais. Restam apenas saudades e desilusão. O Rio Esperança correu sozinho. E morreu sozinho

Um novo rio nasceu em Curitiba. Esse não vai correr sozinho.

quinta-feira, 15 de março de 2018

O futuro da indústria automotiva chegou

"A indústria 4.0 já está aí na esquina, uma realidade dentro de 4 anos”, afirmou Márcio Stéfani, diretor da Autodata, organizadora do bem frequentado Seminário Megatendências do Setor Automotivo. Está claro que mais do que nunca a inovação e a produtividade serão a melhor plataforma de desenvolvimento do setor. “Para vermos o futuro, vale até assistirmos a alguns filmes do passado”, disse Megale na abertura do seminário. Ele apontou quatro grandes tendências para o
setor: 1. O aumento da evolução tecnológica e da automação com a Indústria 4.0. 2. Maior conectividade e digitalização. 3. O avanço dos carros híbridos e elétricos. 4. A direção autônoma se tornando uma realidade a curto prazo. As enormes mudanças estão realmente chegando por ai, quer queiram alguns, ou não.  Quem não entrar nesse carro de muitas mudanças, vai ficar bem para trás!