segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Como esse cara muda de nome

Acho que pelo menos uma vez por semana, ao final de um dia com trânsito estressante, eu me presenteio com uma das melhores empadinhas do mundo, as da Empada Brasil. Paro ali no Walmart do Jardim Marajoara, onde tem um quiosque dessas delícias. Logo,  o simpático amigo Gilson já me serve direto as opções preferidas: Mexicana e Calabresa. Hoje, enquanto saboreava a segunda empadinha, um homem se aproxima empurrando um carrinho com uma linda menininha de não mais de 2 anos. Ela já chega cumprimentando o meu amigo, dizendo que quer uma empadinha de chocolate.  Gilmar, Gilmar, eu quero uma empadinha! Gilmar? Mas não é Gilson? O pai de princesinha agradece o Gilmar, que deu de graça a empadinha preferida da menina. Mas seu nome não é Gilson!? perguntei.  "Não, Gilberto, eu já falei algumas vezes que é Gilmar, mas você insiste em me chamar de Gilson, que eu já não me importo mais. Tudo bem!" Caramba, que mundo adulto complicado esse, hein. Ainda bem que a menininha linda me passou a informação certa! Coitado do Gilson! Quero dizer, do Gilmar!

sábado, 23 de setembro de 2017

Tão feia que merece uma batida

DEPOIS QUE PASSEI A OBSERVAR a traseira de um determinado carro, que na minha singela opinião é a mais feia de toda a indústria automotiva, esse carro passou a circular na minha frente todo dia. Há meses, sem falhar um único dia, ele anda e pára literalmente à minha frente, exibindo aquele design horrível, desajeitado e desatualizado. Meu filho até brinca e diz: "Olha ele aí de novo, pai!". Por ter amigos em assessorias de imprensa de quase todas as marcas, prefiro evitar expor o modelo. Até porque, como já disse, é apenas a minha opinião. Mas que é feio, isso sim a traseira desse carro é. A impressão é de que é o carro mais vendido de todos. Mas está longe disso. É tão feia, mas tão feia, que merece uma bela batida!

sábado, 22 de julho de 2017

Quando temos toda a energia que precisamos

Jamais podemos perder o contato com a nossa fonte de energia. Senão, ela acaba. A principal fonte de energia vem do alto, do Criador, aquele que conhece nossos pontos fortes e fracos. Encontramos a segunda principal fonte de energia dentro de nosso feliz círculo da criação, a família, aquela que nos formou e depois aquela que nós mesmos formamos. Nossa experiência como criador. E a terceira principal fonte de força vem daquele círculo especial formado pela presença marcante e atuante dos grandes amigos. Precisa de mais energia? Quando temos tudo isso, somos mais fortes!